PESQUISAR

O que você precisa saber de tendências para o agronegócio em 2019

Tempo de Leitura: 9 minuto(s)

Publicado em 20 de Dezembro de 2018. Por: SÉCULO XXI - CONVENIADA FGV.

TAG's: voce, precisa, saber, tendencias, agronegocio, 2019

Um novo ano está chegando. Novos governantes tomarão posse em janeiro e a expectativa é que muitas mudanças guiarão o país nos próximos meses. Nesta conjuntura, é claro que as atividades relacionadas à produção de alimentos também esperam o melhor do ano de 2019, com tendências para o agronegócio bastante animadoras.

O clima de confiança e otimismo sobre o setor tende a se manter muito forte em 2019. As perspectivas indicam que o agronegócio manterá sua grande representatividade dentro da economia brasileira, com forte presença na balança comercial.

Além disso, tudo indica que no próximo ano o setor passará por alguns fatores positivos e históricos, que colocarão o agronegócio brasileiro nos holofotes da produção mundial de alimentos.

Saiba quais são as tendências para o agronegócio em 2019 e como você precisa agir para aproveitar as expectativas positivas e ajudar a consolidar todo o otimismo no setor.

Agricultores, pecuaristas e empresas do setor estão muito otimistas

O agronegócio brasileiro convive diariamente com desafios e incertezas recorrentes. Apesar disso, produtores agrícolas e agroindústrias brasileiras estão otimistas com os rumos da economia em 2019, sendo esse o termo mais projetado para o próximo ano.

Neste contexto, o início da gestão de novos governantes, associado à continuidade da recuperação econômica brasileira, trarão a oportunidade de novos projetos no país. E as tendências para o agronegócio indicam que o setor continuará sendo prioridade na maioria destes projetos, sendo, a exemplo dos últimos anos, protagonista na economia brasileira.

Esse protagonismo será percebido por meio do PIB do agronegócio, que também tem perspectivas de crescimento (mesmo que tímidas) para o próximo ano. Segundo estimativas do Banco Central, para 2019, a projeção de crescimento para o agronegócio girará em torno de 2%.

Seguindo essa onda de otimismo, as tendências para o agronegócio indicam que o setor espera viver um período de grande entusiasmo no próximo ano, com manutenção ou até ampliação de investimentos em diversas áreas ligadas ao ambiente do agronegócio.

Mas a estimativa é que a origem destes investimentos pode mudar, como veremos a seguir.

Investimentos: O investimento estatal será menos protagonista

Reforçando o tom de otimismo nas tendências para o agronegócio em 2019, tudo indica que não faltarão recursos para o setor com fontes de financiamento diversificadas no próximo ano.

Assim, entre as tendências para o agronegócio em 2019, existe a possibilidade de mudança nas fontes financiadoras - mas a falta de crédito para o setor parece que não será um problema. É provável que os governos sejam mais restritivos, colocando menos dinheiro no agronegócio e deixando o mercado atuar mais na concessão de recursos para a agricultura e para a pecuária.

Tal fato parece ser uma ocorrência natural dentro do agronegócio. Nos últimos anos, o agronegócio vem se mostrando como uma atividade altamente viável. Isso vem chamando a atenção de todas as instituições financeiras, que se mostram cada vez mais interessadas no setor, por isso estão aumentando as opções em linhas de financiamento.

Dessa forma, as tendências para o agronegócio no próximo ano indicam que instituições privadas irão oferecer variadas fontes de financiamento provindas do crédito comercial oferecido por tradings, cooperativas de crédito e fornecedores de insumos.

Além disso, especialistas creem que outras fontes de recursos para crédito rural, como a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), ganharão ainda mais importância. E a tendência é um ajuste natural do mercado a esse novo perfil de financiamento do agronegócio.

2019 pode ser um ano histórico para o agronegócio brasileiro

Além de todo o otimismo relacionado às tendências para o agronegócio, o ano de 2019 pode ser histórico para o setor no Brasil por outros dois motivos bastante representativos e importantes.

O primeiro acontecimento histórico poderá ter relação com a safra brasileira da soja. Na safra 2015/16, o Brasil assumiu a liderança mundial na exportação de soja, se consolidando como o grande player da oferta em todo o mundo, mas em volume de produção ainda estávamos atrás dos EUA.

Mas há a expectativa de que o fechamento da próxima safra (2018/19) coloque o Brasil na liderança mundial na produção dessa oleaginosa, ultrapassando os Estados Unidos, ainda que por uma diferença apertada. Essa é a previsão do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

O documento indica que o Brasil irá repetir a boa safra 2017/18 e vai colher 117 milhões de toneladas, enquanto a produção norte-americana ficará em 116,48 milhões de toneladas (-2,54% em relação à safra 2017/18).

O segundo acontecimento histórico terá relação com as exportações do agronegócio brasileiro. O setor tem a expectativa de, pela primeira vez na sua história, superar a marca de US$ 100 bilhões em exportações, conforme estimativas do Ministério da Agricultura, mostrando a força que o agronegócio tem na balança comercial brasileira.

Muitos serão os desafios para o ano de 2019 do agronegócio. Mas existirão oportunidades!

Apesar das tendências para o agronegócio serem bastante otimistas no próximo ano, o mercado agrícola ainda precisa enfrentar alguns desafios importantes.

Um destes desafios tem relação com a tabela de fretes mínimos rodoviários implementada pelo governo Temer para acabar com a greve dos caminhoneiros ocorrida em meados de 2018.

Assim que foi lançado, esse tabelamento pode até ter sido benéfico para os caminhoneiros, mas elevou custos e gerou muitas incertezas para o agronegócio, principalmente nos preços de venda de grãos, como soja e milho. Há ainda o desafio logístico e de infraestrutura, considerado o calcanhar de Aquiles do agronegócio brasileiro.

Mas, mesmo com esses desafios, o ano de 2019 também reserva algumas oportunidades animadoras para o agronegócio. Uma das tendências mais fortes tem relação com a “guerra comercial” entre Estados Unidos e China.

Não entendeu? A explicação é relativamente simples.

O presidente dos EUA, Donald Trump, tem como política de campanha o lema “America First” (que em tradução livre significa América Primeiro). Esta política tem entre seus focos o fortalecimento da indústria americana em detrimento de produtos importados.

Para conseguir isso, os EUA estão dificultando muito a entrada de produtos chineses em território americano. Em represália, a China também está impondo medidas tarifárias aos produtos norte-americanos. É uma verdadeira queda de braço.

O desfecho dessa disputa comercial ainda é imprevisível, mas coloca o agronegócio brasileiro em uma condição bastante vantajosa, principalmente na sua relação comercial com a China.

Porém, para que essas expectativas para o agronegócio se confirmem, há a necessidade de investimentos na produção agrícola brasileira para garantir o atendimento de parte importante da demanda do país asiático, caracterizado por ter a maior população do planeta em número de habitantes.

Como se planejar para que as tendências para o agronegócio se confirmem?

Todos os indicadores sugerem que as tendências para o agronegócio são animadoras para o produtor agrícola brasileiro, mas somente números e indicadores não bastam para a atividade, que cada vez mais começa a rejeitar maus gestores.

Assim, no próximo ano será ainda mais importante que o produtor saiba gerir seu negócio da melhor forma possível, por meio de planejamento e trabalho com foco na produtividade e na lucratividade.

Neste planejamento, algumas dicas devem ser seguidas pelo pequeno, médio ou grande produtor. São elas:

1. Faça um planejamento geral

É extremamente importante que haja um planejamento bastante aprofundado das ações, com determinação de metas, objetivos e como alcança-los. Priorize todos os pilares estratégicos (estratégias, operações táticas e práticas operacionais).

2. Avalie resultados

Não há possibilidade de um negócio ser bem-sucedido se não há avaliação dos resultados. A metodologia usada traz mais pontos positivos ou negativos? Se o gestor não sabe a resposta, dificilmente o negócio irá crescer. Assim, a chance de aproveitar as oportunidades do próximo ano será reduzida.

3. Promova treinamentos constantes

Um treinamento de qualidade aplicado a pequenas, médias e grandes propriedades é passo fundamental para melhorar a gestão e, consequentemente, aproveitar as tendências para o agronegócio em 2019.

Esse treinamento deve ser oferecido de forma constante aos colaboradores (na lida do campo), mas o gestor também deve se manter em aperfeiçoamento. Ele deve, por exemplo, realizar bons cursos de gestão do agronegócio.

Bons cursos (como MBA em Gestão) darão ao produtor rural maior capacidade técnica e teórica sobre as características do mercado e tendências para o agronegócio, além das medidas a serem adotadas para aproveitar essas oportunidades da melhor forma.

Gostou deste conteúdo sobre as tendências para o agronegócio em 2019? Então aproveite e assine nossa Newsletter para receber mais conteúdos sobre gestão e agronegócio. 

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM DE:

Comentários:

Século XXI Conveniada FGV - Cursos de MBA, Gestão Empresarial, Gestão Comercial

© 2019 - Todos os direitos reservados

Fundada em fevereiro de 2000, a Século XXI Desenvolvimento Organizacional Ltda. é uma empresa com atuação na área de prestação de serviços em Educação Continuada e Consultoria, com foco no setor empresarial. É conveniada da Fundação Getulio Vargas - FGV Management para as regiões Centro-Oeste, Sudoeste e Alto Paranaíba, do Estado de Minas Gerais.

Século XXI Conveniada FGV - Cursos de MBA, Gestão Empresarial, Gestão Comercial, Avenida São Vicente, 469 - 1º andar - Centro
Tel.: +55 (37) 3212-9525