PESQUISAR

Processos agrícolas: gestão, tendências e otimização

Tempo de Leitura: 8 minuto(s)

Publicado em 5 de Novembro de 2018. Por: SÉCULO XXI - CONVENIADA FGV.

TAG's: processos, agricolas, gestao, tendencias, otimizacao

Quando analisamos os números do agronegócio brasileiro, sempre nos deparamos com perspectivas animadoras, que mostram o quão importante é esse setor na economia do país. Mas você sabia que boa parte desse sucesso é consequência do melhor mapeamento dos processos agrícolas atualmente realizado?

Historicamente, alguns fatores são determinantes desse sucesso, tais como terras agriculturáveis, água em abundância e clima favorável, mas ultimamente a maior capacidade de gestão e mapeamento dos processos vem sendo uma das razões mais significativas para essas boas perspectivas.

Com uma gestão mais eficaz (baseada no melhor mapeamento), o desenvolvimento de eficientes processos agrícolas possibilita que o produtor consiga produzir mais e gaste menos, ou seja, consiga otimizar todo o processo agrícola com maior eficácia.

Dessa forma, a tendência é que a otimização dos processos agrícolas seja quase que um pré-requisito para o sucesso, pois tende a alinhar os melhores processos agrícolas à gestão cada vez mais eficaz.

Mas você sabe qual é a real importância do melhor mapeamento da gestão dos processos agrícolas? Essa será a discussão do texto de hoje.

Mapear processos agrícolas: o que isso significa?

A competitividade representa um fator cada vez mais intenso em diversos cenários no mundo todo. Para se diferenciar, a necessidade por parte das empresas em conhecer sua real situação vem aumentando. Neste contexto, o diagnóstico dos processos é peça chave.

A ferramenta para esse diagnóstico mais utilizada é o mapeamento de processos. Entende-se por mapeamento de processos uma técnica geral utilizada pelas empresas que buscam entender de forma mais clara e simples como determinada unidade do negócio está operando, representando cada passo das ações.

Todas essas empresas entendem que o melhor entendimento dos processos produtivos irá se traduzir em decisões melhor tomadas e a elaboração de estratégias bem-sucedidas de um crescimento mais sustentável, crucial para que a atividade possa prosperar.

No caso do agronegócio, o melhor mapeamento e o entendimento dos processos agrícolas se fazem ainda mais essenciais, visto que os riscos inerentes ao setor são elevados quando comparados com outros ramos. Isso ocorre em razão do agronegócio estar sujeito continuamente a riscos climáticos, financeiros, operacionais e de produção.

Tomando como base o melhor entendimento desses riscos, uma eficiente gestão dos processos agrícolas se traduz também em diversos benefícios, tais como:

  • Auxílio na tomada de decisão mais assertiva;
  • Elaboração de estratégias de crescimento sustentável;
  • Possibilidade de seguir melhores rumos; e
  • Otimização dos processos como um todo.

Além disso, com o mapeamento dos processos agrícolas há a possibilidade que estes sejam realizados de forma mais ágil, eficiente, simples e segura, ou seja, é possível ganhar tempo, reduzir custos e obter ótimos resultados na gestão rural!

Mapear processos significa conhecê-los melhor!

O mapeamento dos processos agrícolas visa identificar todos os pontos ou etapas que fazem parte do dia a dia de qualquer atividade de qualquer empresa rural. Estes processos devem ser organizados e elaborados de forma bastante estruturada, possibilitando que ocorra melhor compreensão das etapas realizadas.

Tal fato permite que se conheça a empresa rural na sua integridade, e quanto mais detalhado for o mapeamento, maiores serão os resultados relacionados à gestão da fazenda como um todo.

Esse conhecimento permite ao empresário rural avaliar os pontos críticos do negócio, além de riscos operacionais e riscos econômicos. Com isso, dá-se mais respaldo para a tomada de decisões com base nestas análises.

Permite também assegurar o cumprimento de planejamentos estratégicos que são elaborados para trazer maiores retornos à empresa.

Neste caso, o mapeamento permite analisar a eficiência de processos das mais diferentes áreas que compõem o macro ou microambiente rural, como compra e venda de insumos e produtos acabados, produção no campo, beneficiamento de produtos, manutenção de máquinas e equipamentos, gestão de pessoas, entre outros.

Os benefícios do mapeamento dos processos vão ainda mais além, pois incluem a estruturação de custos e seus impactos sobre o negócio, além da determinação de pontos críticos de controle para produção, monitoramento da eficiência da equipe de trabalho, busca pela melhoria contínua dos processos, entre muitos outros.

Em resumo, pode-se dizer que a adoção do mapeamento dos processos agrícolas será importante para identificar pontos de controle e seus possíveis problemas (caso existam), priorizando-os, e determinando medidas com objetivos preventivos e corretivos, melhorando, dessa forma, a eficiência produtiva ou retomando rumos previamente planejados.

Precisamos otimizar os processos agrícolas. Como?

Buscar a máxima otimização de processos representa o objetivo de praticamente todo tipo de empresa, seja ela do meio rural ou não. Empresários sempre buscam aumentar seus lucros, mas na medida do possível reduzir seus custos, ou seja, querem aumentar a produtividade e a lucratividade.

Dessa forma, o mapeamento dos processos exerce papel imprescindível também em todo tipo de empresa rural. Isso ocorre porque a maior capacidade de mapeamento dos processos permite, dentre outras coisas:

  • Aumento da capacidade produtiva:
  • Facilidade de entendimento de falhas dos processos produtivos;
  • Diminuição no uso de recursos e insumos no processo agrícola.

Em razão destes fatores, pode ser interessante priorizar aqueles processos que necessitam e merecem maior riqueza de detalhes no mapeamento, já que eles tendem a resultar em maiores impactos nos lucros.

Além disso, no ambiente agrícola, o mapeamento de todos os processos terá como resultado o desenvolvimento e a adoção de novas técnicas e ações que podem ter melhor comportamento para alcançar o objetivo da otimização, que, por alguma razão, não vinha sendo atingida na utilização de processos já existentes.

Neste contexto, é necessário o estabelecimento de procedimentos padronizados que ajudarão na otimização da gestão e dos processos, além de contribuir para o aumento da produtividade do negócio.

Vale lembrar ainda que muitos dos resultados financeiros de uma atividade agrícola são regularmente utilizados como indicadores de performance. Por isso, quando combinados com o mapeamento dos processos agrícolas, podem fazer da gestão um fator ainda mais essencial para o sucesso de toda a atividade.

Importância do conhecimento especializado

Como vimos até agora, a máxima otimização de processos relacionados ao ambiente do agronegócio é cada vez mais importante. Basicamente, dois são os fatores que explicam essa importância:

  • Máxima exigência do mercado consumidor quanto a eficiência do agronegócio brasileiro;
  • Aumento dos processos tecnológicos ligados ao campo (representado pela tecnologia big data, agricultura 4.0, drones, sensores, etc.) que elevaram significativamente a geração de dados e especificidade de detalhes inerentes ao setor.

Por isso, a tendência é que a utilização destes tipos de ferramentas representará um grande diferencial, possibilitando que o empresário rural consiga gerir seu negócio baseado em uma infinidade de dados e informações, dando respaldo para que ele tome a melhor decisão.

Porém, para adotar tais ferramentas e conseguir tirar o máximo proveito de suas funcionalidades, é fundamental que o empresário rural tenha o máximo de conhecimento especializado em diversas áreas, inclusive aquelas que não sejam tão alinhadas ao agronegócio num primeiro momento.

Atualmente, não basta mais ter conhecimentos básicos em ciências agrárias para conduzir um negócio rural. Hoje, o mercado envolve fornecedores, cooperativas, distribuidores, consumidores e relações comerciais, e o relacionamento entre eles vem exigindo um profissional cada vez mais completo.

Dessa forma, para se diferenciar no mercado e adotar as técnicas e tecnologias mais modernas relacionadas à otimização dos processos agrícolas, o empresário rural deve ter conhecimento em diferentes áreas, tais como gestão, marketing, planejamento, liderança e ferramentas digitais.

Fazer um bom curso de MBA em Gestão do Agronegócio pode ser uma ótima opção nesse sentido. Com os conhecimentos nele adquiridos, será possível seguir essa tendência de otimização dos processos agrícolas, possibilitando que o produtor possa gerir seu negócio com maior eficácia e qualidade.

O agronegócio agradece! Quer ler mais sobre o agronegócio? Então continue acompanhando nosso blog

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM DE:

Comentários:

Século XXI Conveniada FGV - Cursos de MBA, Gestão Empresarial, Gestão Comercial

© 2018 - Todos os direitos reservados

Fundada em fevereiro de 2000, a Século XXI Desenvolvimento Organizacional Ltda. é uma empresa com atuação na área de prestação de serviços em Educação Continuada e Consultoria, com foco no setor empresarial. É conveniada da Fundação Getulio Vargas - FGV Management para as regiões Centro-Oeste, Sudoeste e Alto Paranaíba, do Estado de Minas Gerais.

Século XXI Conveniada FGV - Cursos de MBA, Gestão Empresarial, Gestão Comercial, Avenida São Vicente, 469 - 1º andar - Centro
Tel.: +55 (37) 3212-9525