PESQUISAR

Gestão de talentos: erros e acertos que toda empresa comete

Tempo de Leitura: 5 minuto(s)

A gestão de talentos é uma atividade desafiadora, que exige do RH da empresa muita atenção, sensibilidade, planejamento estratégico e ações pontuais e contínuas. Afinal, é a forma como a organização cuida de seus colaboradores que garante a retenção de talentos e a evolução do negócio. Mesmo sabendo da importância de gerir bem as pessoas, muitas empresas cometem erros comuns nesse processo. Por isso, preparamos esse conteúdo sobre o que não deve ser feito e quais atitudes merecem ser colocadas em prática para obter uma boa gestão. Confira.

5 erros fatais na gestão de talentos


1 - Feedback do medo

Usar o feedback apenas para críticas negativas destrói a confiança e a motivação de qualquer equipe. Até mesmo daquela formada pelos colaboradores mais experientes (com muito tempo de empresa) e dedicados. Os únicos resultados conquistados com esse tipo de retorno são queda de produtividade e de qualidade nos projetos, aumento de custos com retrabalho e pedidos de demissão consecutivos.


2 - Incoerência entre cargo e atividades

É enorme a frustração de um profissional quando ele se prepara por anos, é contratado para um cargo equivalente a sua formação, mas acaba tendo de realizar atividades totalmente diferentes e aquém da sua capacidade. A consequência disso é procrastinação, baixa produtividade, não cumprimento de prazos e metas e falta de compromisso com a empresa.

3 - Não dar voz aos colaboradores

O profissional vive a empresa: executa tarefas, lida diretamente com equipamentos, depende da colaboração dos colegas e enxerga o que funciona ou não na prática. Não ouvir o que ele tem a dizer é o mesmo que fechar os olhos para o que há de errado e para boas oportunidades de inovação. E isso, com certeza, leva qualquer negócio à estagnação e ao retrocesso.

4 - Não reconhecer o real valor da equipe

Organizações que deixam de valorizar os esforços e bons resultados de seus colaboradores acabam perdendo o vínculo afetivo com os melhores profissionais, uma vez que eles não se sentem reconhecidos pela empresa. Quando esse laço se desfaz, a motivação some com ele e o profissional arrasta o trabalho até não sobrar outra saída a não ser a demissão.

5 – Usar o salário como única estratégia de retenção

Oferecer aumento só quando o colaborador demonstra que quer desligar-se da empresa nunca será a melhor estratégia de retenção de talentos. Bons profissionais sabem que precisam de mais que um bom salário para exercer sua função com eficiência. Eles certamente pensarão: se tinham condições, não me deram esse aumento antes porque não reconhecem meus esforços.

5 acertos que facilitam a gestão e retenção de talentos

1 - Usar ferramentas de gestão

Instrumentos como avaliação de desempenho e pesquisa de clima organizacional ajudam o RH a realizar um trabalho mais adequado. Com essas ferramentas, pode-se remanejar os colaboradores de forma estratégica e suprir as reais necessidades deles para que obtenham mais motivação e alta performance.

2 - Criar e aplicar bons planos de carreira

Todo colaborador tem interesse em crescer no trabalho e, quando ele enxerga claramente o caminho que deve percorrer, tem mais motivação para evoluir.  O efeito disso é maior produtividade, proatividade e inovação. Para criar bons planos de carreira, o primeiro passo é fazer o mapeamento de cargos e salários, estabelecendo as atribuições e qualificações exigidas em cada função.

3 - Manter uma comunicação aberta

Quando está bem informado sobre a empresa e se sente à vontade para falar com seus superiores, o colaborador consegue ser mais participativo e assertivo, apresentando soluções estratégicas e eficazes para os problemas e apontando boas oportunidades para o negócio. A comunicação clara e aberta amplia a inovação e ainda diminui as danosas as fofocas de corredor.

4 - Mapear perfis

O mapeamento de perfis é outra ferramenta importante para uma boa gestão de talentos, pois permite que a alocação dos profissionais seja feita de modo estratégico, visando suprir da melhor forma as necessidades da empresa, ampliar a performance da equipe, estimular o crescimento do colaborador e aumentar a vantagem competitiva do negócio. 

5 - Investir em capacitação

Colaborar para a melhor capacitação do colaborador é um grande acerto na gestão de talentos. Com essa atitude, a empresa passa a obter resultados mais expressivos e retém os melhores profissionais em seu quadro, tornando-se mais competitiva no mercado. Vale criar programas de capacitação, subsidiar total ou parcialmente cursos de especialização e/ou flexibilizar horários para facilitar os estudos dos colaboradores.

Com certeza, você e seus colegas de RH já identificaram erros e acertos na gestão de talentos da sua empresa, não é mesmo? Então, compartilhe com eles esse artigo e converse sobre o tema. A troca de informações e o debate também são fundamentais para melhorar as práticas de gestão de um negócio. Não perca a chance de contribuir com sua equipe.

 

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM DE:

Comentários:

Século XXI Conveniada FGV - Cursos de MBA, Gestão Empresarial, Gestão Comercial

© 2018 - Todos os direitos reservados

Fundada em fevereiro de 2000, a Século XXI Desenvolvimento Organizacional Ltda. é uma empresa com atuação na área de prestação de serviços em Educação Continuada e Consultoria, com foco no setor empresarial. É conveniada da Fundação Getulio Vargas - FGV Management para as regiões Centro-Oeste, Sudoeste e Alto Paranaíba, do Estado de Minas Gerais.

Século XXI Conveniada FGV - Cursos de MBA, Gestão Empresarial, Gestão Comercial, Avenida São Vicente, 469 - 1º andar - Centro
Tel.: +55 (37) 3212-9525